A tela em branco que você não pinta

L1005632.jpg

Não existe apenas um caminho para resolver questões de comportamento. Não é possível pensar em fórmulas ou passo a passo para garantir que os pequenos façam aquilo que falamos, nos ouçam, ou colaborem. Quando nos debruçamos apenas no que está acontecendo e esquecemos do por que está acontecendo, é como se não olhássemos para a criança, apenas para a nossa expectativa. E esse é um exercício complexo.

Livrar nossos filhos daquilo que esperamos que eles sejam e nutrir aquilo que eles podem ser é transformador. Imagina crescer sem sentir o peso de carregar o sonho de alguém? Essa possibilidade diminui as chances de frustrações e também de embates, além de nos trazer um desenho perfeito do nosso papel como pais e mães: eu aceito, acolho e oriento meu filho para que ele seja a sua melhor versão. Eu sou margem.

Vamos falar sobre os pais e as mães que desejamos ser?

Workshop de parentalidade e educação positiva em Porto Alegre, dia 20 de outubro e em Curitiba, dia 24 de novembro. Para se inscrever, é so clicar no link da minha bio, ou no www.sympla.com.br/luabfonseca