Let it go

CI4A3662_2 (1).jpg

O que aconteceria se você deixasse de fazer o que você acha que só você faz? Sabe aquela coisa que está te deixando exausta, perto de pifar? Aquela atividade que você não consegue delegar por acreditar que só você sabe, só você consegue e claro, nunca tem ninguém pra fazer, além de você?

Vou te dizer o que aconteceria.

Nada. Ou melhor, aconteceria tudo igual, só que sem você. Ou, tudo diferente, mas ainda assim, aconteceria. Obviamente que não seria do seu jeito, mas isso não pode ser um problema, certo?

Não controlamos o que acontece com a gente e nem o que acontece ao nosso redor. Em fração de segundos, tudo muda. Nascemos, morremos, casamos, separamos, atravessamos a rua, mudamos de ideia. Viver em busca dessa tal segurança, desse lugar aonde você consegue ver tudo ou dar conta de tudo é um castelo de cartas, uma miragem no deserto: frágil e que na verdade, só existe na sua cabeça, para alimentar o seu ego.

Tenho atendido muitas mães que começam falando sobre as dificuldades dos filhos: choram demais, estão apegados demais, não ficam com ninguém, não dormem com ninguém, não comem com ninguém. A medida que vão se abrindo, que vão se ouvindo, percebem que o apego tem início nelas. E que no fundo, é um processo de querer se sentir reconhecida como boa mãe. Ei, para com isso. Você já está fazendo um trabalho incrível e agora precisa apenas confiar, aceitar e entregar para o mundo, deixar viver, deixar ser. Segura firme na mão do seu filho e só vai. Confiar talvez seja o seu processo de cura, de resgate da sua criança, de perdão. Não existe transformação sem essa etapa. #parentalidadepositiva #equilibrioparental

Em setembro tem workshop em Salvador e em Brasília. Vamos falar sobre nossas crenças e desafios?

Para se inscrever, clica no link da minha bio ou no www.sympla.com.br/luabfonseca

E se você quiser fazer um atendimento individual, me manda email que te explico como funciona: luandabarros@gmail.com