Autoconfiar

L1004451.jpg

Autoconfiança.

Como anda a sua?

Li recentemente que ao aplicar para uma vaga de emprego 60% dos homens enviam seus currículos mesmo não preenchendo todos os requisitos. Sabe qual a porcentagem de mulheres que faz isso? Nem eu, mas tenho certeza que é muito menor do que a dos homens. Nós precisamos nos sentir perfeitas, seja para a vaga de emprego, seja para ir na praia no fim de semana, seja para ser mãe. Quando é que vamos entender que essa busca nos adoece?

Mas sabe o que é pior? Ao encontrarmos uma mulher autoconfiante e segura de si, ela provoca em nós um profundo incômodo. Julgamos a segurança com que ela anda, se veste, fala e vive a vida, como uma afronta a nossa incapacidade de nos amarmos profundamente. Ela, segura de si, abala ainda mais as nossas inseguranças. Como ela consegue e eu não? E assim, buscamos um jeito de descontruir e desmerecer aquele mulherão da porra. Para que essa mulher ganhe nossa admiração, ela precisa ser discreta, não pode chamar atenção, não pode falar palavrão e é melhor que não fale exatamente o que pensa. Perpetuamos o nosso machismo e nos aprisionamos na nossa própria rede de preconceitos e hesitações.

Minha sugestão é que da próxima vez que você encontrar uma mulher assim na sua frente, dê a mão a ela. Entre junto na sala, incomode. Aprenda a cultivar a autoconfiança e o ego na medida certa, que é aquele tamanho em que você consegue se sentir grande e boa o suficiente para ajudar outras mulheres a sentirem o mesmo. Sigamos juntas e mais fortes.