Juízes da vida alheia

filhos.jpeg

As relações não existem sem o conflito e entre irmãos isso é ainda mais verdadeiro. No centro da disputa pode existir um bicho de pelúcia ou a determinação de quem vai tomar banho primeiro (ou por último, dependendo do dia), mas não se engane. Nunca é tão simples assim. Conflitos entre irmãos é um jeito de existir, de dar contorno a quem somos, como nos relacionamos com o outro, com o mundo. Ou seja, é importante e mais do que isso, faz parte. Sorte de quem pode experiementar essas possibilidades ao lado de quem se ama. Ter irmãos ainda é um dos melhores jeitos de aprender habilidades de vida como empatia, amizade, lealdade. Claro que mesmo sabendo isso, assistir brigas diárias é algo bem próximo do insuportável, eu sei. Mas de verdade, não existem regras mágicas para impedir esses conflitos. Não queiram ser juízes dos desentendimentos entre seus filhos. Temos um exemplo claro do que a parcialidade nas decisões desse que se diz acima do bem o do mal, podem fazer com a história. Tirem suas togas e observem, sem tomar partido, sem escolher um lado forte e um fraco, um culpado e uma vítima. Ouça, descreva a situação e ensine que eles podem e têm capacidade de resolver suas questões sozinhos. Estabeleça limites e deixe isso muito claro para que quando os mesmos forem ultrapassados -  e eles serão - as crianças tenham que lidar com as suas emoções. Não é através do castigo que elas aprenderão o que pode e o que não pode fazer. Isso elas já sabem. Busquem soluções juntos, se respeitem e sempre que puder, lembre de respirar fundo. #parentalidadepositiva #equilibrioparental