Dicas práticas para uma vida caótica

IMG_4519.JPG

Na era da felicidade a qualquer preço, nossos lutos, dores e tristezas não cabem em lugar nenhum, nem mesmo dentro da gente. Não pode sofrer. Não pode chorar. É preciso ter ideias brilhantes e acima de tudo, ter coragem.

A sua felicidade depende de você. Mas a felicidade do seu filho também. E a capacidade dele ser um adulto exemplar, claro que está na sua conta. Se a sua mãe estiver doente, se seu marido for um bosta, se o seu trabalho não for exatamente o que você queria, se você não tem dinheiro, se você não tem um parceiro, tudo, absolutamente tudo, parece ser inteiramente de sua responsabilidade.

Desculpem, mas assim não tem quem aguente.

Claro que vamos assumindo culpas alheias com a mesma facilidade que pagamos academia e faltamos, mas calma lá. São muitos processos, muitos passos a serem dados para a tal vida mais leve. E se você está se sentindo sufocada, eu te digo: tá tudo bem se sentir assim, sabe por que? Porque tá foda mesmo. Tá foda para todo mundo.

Mas e aí? Diante dessa bagunça emocional, dessa descrença geral, por onde (re) começar?

Não sou coach da vida alheia e nem especialista em sofrimento humano, mas estou aqui, assim como você, numa tentativa árdua para levar uma vida com mais sentido. E nessa minha busca, algumas coisas foram e são muito importantes. E a primeira delas é simples como brisa.

Respire. Longamente, sem pressa. Respire mais uma vez. Respirar da forma correta permite que o corpo entenda que não está em perigo e isso faz com que as ideias fiquem mais claras.

A segunda coisa é sobre nossa capacidade de pensar coisas ruins. Inverta essa energia e entenda que te toma o mesmo tempo se você decidir pensar algo bom. Quando sua cabeça começar a dar passos galopantes em direção a desgraças e fatalidades, pare, respire e recomece a pensar coisas boas. "E se der certo?" é algo poderoso.

A terceira e última coisa é sobre suas culpas. Não dá para assumir responsabilidade por todos que te cercam. Escolha pelo que você vai sofrer e observe a real dimensão que esse sentimento tem.

Tá, mas o que isso tem a ver com criação de filhos e disciplina positiva, assunto desse instagram aqui? Tem tudo a ver. Nós precisamos buscar o nosso equilibrio antes de querer que nossos filhos tenham um comportamento sencaional. Nós precisamos entender que sentir faz parte de ser e que se a gente não se autoriza a isso, vamos calar também nossos filhos. Amor com a gente primeiro para depois amar os nossos.