Todos os dias

L1006119.jpg

Todos os dias são recomeços.

Eu sei que é difícil pensar nisso quando encaramos uma decisão equivocada que desencadeia uma sucessão de reações ruins, um tapa em um filho, um grito violento ou um sacolejo mais forte na criança. Eu sei que nesses momentos a gente acredita que não tem mais jeito e que aquela é a linha final, que você está fadada a ser uma péssima mãe ou um pésssimo pai. Mas não é bem assim. E mesmo que os comportamentos difíceis pareçam que tenham chegado para ficar, lembre-se de permitir o recomeço, de abrir espaço para o perdão, para a mágoa, lembre-se dar lugar ao novo. E para isso, nada melhor do que filhos.

Sabe aquela frase: "era uma ótima mãe antes do meus filhos nascerem"? Pois bem. Criamos expectativas irreais sobre como vamos lidar com situações imaginárias e aí, diante delas, na hora H, falhamos e nos culpamos.

Nem sempre vamos conseguir acolher, nem sempre vamos conseguir baixar e olhar nos olhos, nem sempre vamos perguntar ao invés de mandar. Vamos errar. Mas nesse novo jeito de parentar, nos humanizamos. Entendemos nossos erros, olhamos para eles, nos refazemos e mudamos. Claro que isso não vem da simples leitura de um livro ou da sua participação no meu workshop. É preciso querer e buscar essa transformação, diariamente, até ela se transformar num novo hábito, numa nova maneira de ver a vida.

Dá trabalho, é intenso e muito bonito.

E mesmo que ao ler essas palavras agora, pareça impossível mudar, eu te garanto: todos os dias podemos recomeçar e esse é um super poder que esquecemos de usar.

Vamos juntos?

Porto Alegre, ainda tem algumas vagas na turma de sábado!

Se inscreve: www.sympla.com.br/luabfonseca