Excessos.

Os excessos que envolvem a chegada de um bebê tiram o foco daquilo que realmente importa: chás de fralda que parecem festas de quinze anos, lembrancinhas de maternidade que são como jóias, bebês que nem usam sapatos mas já nascem com 50 pares no guarda-roupa, laços para crianças carecas e a última que eu vi foi limousine para buscar o bebê na maternidade e levar para casa. Sim, isso mesmo que você leu. (Nessas horas eu só penso que temos que rezar muito pela humanidade, porque tá DIFÍCIL).

O enxoval do bebê é algo que facilmente nos leva ao excesso. Existem listas e mais listas na internet com dicas e itens INDISPENSÁVEIS para as pequenas criaturas, que na verdade, não possuem nenhuma necessidade além de ser amado, alimentado e mantido quentinho. Se a gente começar a pensar mais nesse bebê que vai nascer, do que nas nossas próprias vaidades, é possível economizar um bom dinheiro. 

Por aqui, Joaquim ganhou várias coisas de bebês amigos, outras eu comprei usado de mães (mercado solidário materno) e para dizer que nada veio direto da loja, não resisti ao charme discreto da @minimalistashop e ao cupom de desconto para primeiras compras. E já deu: até os 6 meses temos tudo que precisamos. Nos próximos 3 meses que faltam até a sua chegada, preciso cuidar da parte pesada: quarto e passeio. E aí, o mercado livre é meu pastor e nada me faltará. Oremos. #nodramamom