Correr riscos.

CI4A5401.jpg

Sempre que estamos diante de uma decisão importante a gente sofre, né? Perdemos noites de sono, perdemos a fome (no meu caso eu ENCONTRO a fome), perdemos os cabelos. Tem gente que faz lista de prós e contras, tem gente que joga as cartas para tentar uma ajuda celestial, tem gente que medita. Tudo que a gente queria era alguém, alguma coisa que confortasse a nossa decisão, apontasse o caminho do acerto, aquele que não irá trazer nenhum tipo de arrependimento.

Depois de algumas mudanças de cidade, de ter filhos não planejados, de me perder e me achar, tenho me questionado: Qual é o problema em se arrepender? Onde está escrito que a gente não pode tomar a decisão errada? Do que a gente tem medo?

Alguém pode me dizer que tem medo de perder tempo. E eu entendo, mas olha...brigar com o relógio é sempre uma batalha inglória. O tempo sempre vai vencer. Não é possível pará-lo e o melhor a fazer é não achar que ele é seu inimigo. O nosso tempo só acaba com a morte. Sempre dá tempo de se refazer, de recomeçar. Todos os dias, aliás. O medo de dar errado é algo perigoso. Ele nos paralisa, nos segura, faz a gente criar raízes mesmo quando estamos precisando de asas.

Eu já tomei decisões erradas tamanho família. No popular, cagadas gigantes. Já perdi tempo, já perdi coisas, inclusive dinheiro. Mas o fato é que tudo isso me trouxe até aqui. Me fez ver a vida por uma outra perspectiva e com toda certeza, me fortaleceu. Hoje eu posso dizer: deus me livre de não correr riscos.