Stranger Things.

CI4A0045.jpg

Eis que de repente a palavra gratidão foi orkutizada e ser grato por alguma coisa virou piada de hippie ou dos seguidores da Oprah . Quem tinha pouca convicção na força da gratidão parou de agradecer e quem seguiu no gratiluz fica se achando o guru da montanha. Eu, que não sou nem lá nem cá, afirmo: tá puxado. Nesse mundo invertido (alô, Stranger Things) nos esvaziamos de tudo que pode ser mais estável e nos apegamos exatamente ao que tem fim e assim, sofremos, deprimimos.

Desculpem os incrédulos, mas ser grato pode sim transformar nossa realidade. Pode mudar a nossa perspectiva sobre as coisas. E como é isso? Simples:

- Entenda o seu lugar de privilégios e simplesmente agradeça. Não importa a quem (Deus, Deusa, universo), mas agradeça. Do fundo do seu coração.

- Encontre pequenas coisas no seu dia que te fazem feliz. Correr me faz muito feliz, tomar uma xícara de café me faz feliz, escrever me faz feliz, um whatsapp de um amigo me deixa feliz. São TANTAS coisas que não tem por que não agradecer.

- Observe os gatilhos que te fazem perder a conexão, o humor, a esperança e desvie o caminho, mude a rota, pule a vez. Eu tenho mania de ler notícias de desgraça. Isso sempre me deixava mal. Não estou falando sobre me alienar do sofrimento alheio, mas tem coisas que são muito para mim. Eu tenho meus limites e preciso respeitar eles para seguir em paz. Gatilho encontrado. Ação: não ler mais tais notícias. Elas existem, eu sei, mas eu não as leio. E ao final do dia, sigo agradecendo pelos meus privilégios e as pequenas coisas que me trazem alento.

- Entender a gratidão como uma escolha saudável. Tipo alimentação. Aí você tem a Bela Gil que é saudável 100% do tempo dela e tem eu, que sou saudável 60% do meu tempo. Eu não sou a pessoa mais grata do planeta, mas eu busco isso. Olho para esse caminho e desejo seguir nele por acreditar que é o mais legal para mim, para que eu seja uma mulher mais bacana, uma mãe melhor, uma parceira mais inteira na minha relação. Eu escolho isso, sempre que é possível.

Esse domingo eu escolhi ser grata por uma saia rodada, pelo sorriso de Teresa e pela capacidade de fantasiar de Irene. Simples, mas eficaz.

CI4A0055.jpg
CI4A0071.jpg