Novos medos

Falar que a maternidade é o encontro com a própria sombra pode parecer pesado aos ouvidos mais românticos, mas para mim, não tem nada mais real. Na nossa sombra está aquilo que não acessamos, não queremos ver, não sabemos existir. São nossos medos mais secretos, nossos instintos mais primitivos, nossas dores. Encarar as sombras é difícil e apesar de ser o caminho mais complicado, tem se mostrado o mais significativo em minha jornada como mãe, mas principalmente como pessoa. 

Grávida do quarto filho, ela volta outra vez. Sim, porque a sombra ela não desaparece, certo? Se não há sombra é porque não há luz. Então, o jeito é encarar, revirar, reviver. 

- Mas Lua e mesmo com 4 filhos você ainda tem medos?

Tenho. Muitos. Medo do parto, medo da chegada de um novo bebê, medo do sono, do cansaço, da falta de paciência que o cansaço traz. Medos grandes e pequenos, brancos e pretos, de todo o modelo. Alguns só precisam de leveza, outros merecem ser mais elaborados, para que ocupem o seu devido lugar e não se espalhem por aí. Estou nesse caminho, olhando atentamente para tudo, mergulhando quando necessário, passando reto quando preciso, maternando e gestando, com toda força e vulnerabilidade que isso carrega, sem dramas, se é que isso é possível. #nodramamom