Transbordar

Outro dia li um texto que dizia que a gente só pode dar ao outro, aquilo que em nós está transbordando. Não adianta a gente querer ajudar o outro, querer dar amor, acolher, quando não está sobrando nem pra gente. 

O trabalho de Doula é uma doação, em todos os sentidos. A gente, por não ser profissional da área técnica, a gente doa aquilo que temos de melhor, de mais forte. Doamos a nossa confiança, nossa conhecimento, nossa coragem, para uma mulher que naquele momento está precisando de tudo isso. A gente doa amor, doa o tempo. A gente se doa, se entrega para a construção de uma ponte entre a mulher que esta morrendo e a que está nascendo. 

Mas só dá para fazer isso, quando transbordamos. 

Em nossa função como mãe, é igual. Como mulher, a mesma coisa. Amiga, profissional, amante, filha, em todas as nossas relações, para dar, é preciso transbordar. ️