Construção de auto-estima

Nove em cada dez textos sobre desenvolvimento da criança afirmam que é importante dar autonomia aos pequenos. Deixar que eles comam sozinhos, brinquem, montem, desmontem, subam, desçam, se calcem e, também, vistam-se por conta própria. Conseguir realizar cada uma dessas atividades é como uma grande conquista na escalada sem fim que é crescer.

Algumas crianças já demonstram desde cedo o quanto gostam dessa independência e a chegada dos 2 anos coroa essa fase, onde eles entendem que já conseguem fazer muitas coisas sozinhos e acreditam que são donos dos seus pequenos narizes. De uma hora para outra a vida, vira um campo de batalha: de um lado, crianças antes tão tranquilas se tornam gremlings cheios de vontades e, do outro, os pais, tentando simplesmente colocar o filho na cadeirinha do carro.

Essa fase, assim como tantas outras, passa, melhora. Mas é hora de aceitar que seu filho está crescendo e que algumas coisas na dinâmica da relação vão mudar. E pode ser para melhor. Quando a teoria fala sobre dar autonomia para as crianças, ela está querendo dizer, na verdade, que a criança (acreditem ou não) é um ser humano, com vontades próprias. E que, à medida que eles crescem, é importante lembrar disso.

Aqui em casa eu sou a senhora autonomia: adoro quando o bebê começa a segurar a cabeça sozinho e eu já consigo carregar com um braço só, adoro quando começa a andar e já pega algumas coisas por conta própria. Vibro no processo de desfralde e depois quando já se limpa sozinho (cacete, essa parte de limpar é muito chato, principalmente na hora da refeição), mas, principalmente, amo quando eles começam a se vestir. Essa é a hora onde podemos exercitar ao máximo, o respeito pela criança, pelo outro ser humano.

Deixar que eles se vistam, que escolham suas roupas, que façam suas combinações, é levar à sério o respeito por quem eles são. Feio ou bonito, arrumado ou desarrumado, são conceitos dos adultos. Para a criança, o que vale é ter conseguido realizar uma tarefa, confiar nas suas escolhas e isso, precisa ser incentivado. Estamos falando de construção de auto-estima e não de desfile de moda. #nodramamom