Mãe e filha

Não sei o que é ser a filha do meio, não li a respeito dessa posição na hierarquia familiar e prefiro não ter muitas expectativas em relação ao comportamento da minha (do meio). O que sei e o que tenho percebido é que essa menininha não sabe muito bem se olha para o irmão mais velho, já mais independente ou se gruda na pequena, que ainda tem colo fácil. Como quem está no meio, ela alterna entre as duas posições, tentando encontrar coisas que são só dela.

Sei que tanto João, quanto Irene e Teresa são muito pequenos para que eu afirme coisas sobre eles e suas personalidades. Eles estão em formação e nada é por enquanto, mas obviamente consigo perceber traços muito diferentes entre eles e isso é fantástico.

Irene é uma menina-mãe. Em suas brincadeiras ela dá carinho, dá esporro, bota de castigo, cuida. Ela repete isso com os irmãos e brinca que ela é a mãe deles. Os dois respondem ao comando e seguem como seus filhos. Na escola, o mesmo acontece.

Ela sabe a nossa rotina e o que vem após cada atividade do dia. Lembra quem ainda não escovou os dentes, quem falta calçar os sapatos e quem não comeu direito.

Não acho que isso me diz sobre como Irene vai ser no futuro e odeio as premonições que as pessoas adoram fazer: “Ah! Ela vai ser uma super mãe quando crescer.” Não. Não sabemos se vai ser assim. O que sei e o que sinto é que ser mãe dela é incrível e espero que eu seja essa pessoa que ela gosta de imitar por muito tempo ainda.#nodramamom