Como ser uma boa mãe de três

Este texto contém ironia.

 

 

Ontem tentei ser uma boa mãe. João havia me pedido para a gente não se atrasar e essa era a minha missão. Eu só precisava conseguir almoçar com os 3 pequenos, checar as mochilas, escovar os dentes (deles e os meus!), terminar de me arrumar, colocar os 3 no carro e partir. Super simples. Acontece que no meio do caminho tinha um par de meias. Já estava com a porta aberta, esperando o elevador, quando Irene empacou.

Larguei as mochilas no hall, sentei no chão e tentei ajudar, mas ela, obviamente, não queria minha ajuda. Estava brava e gritava coisas como: “Eu não adoro essa meia, mãe! Não quero ir com esse sapato! A vaca tá apertada! Não quero isso!”.

O transe da reclamação estava instalado e eu não tinha muito o que fazer, a não ser ver aquilo passar. Acontece que eu não podia. Tinha combinado com João que a gente não se atrasaria e precisava honrar minha palavra. A essa altura ele já estava segurando a porta do elevador, puto e gritando: Bora mãe, bora Irene!

Dei uns gritos também para ajudar a manter o clima agradável e informei a Irene que estava descendo, que ela decidice o que queria fazer. Escrevendo agora eu reflito: que postura ADULTA a minha, não?. Fomos para o carro e 30 segundo depois Irene chegou no colo da faxineira com os sapatos nos pés. João não se atrasou, mas eu estava esgotada, irritada, assim como Irene, que chorou todo o caminho até a escola.

Hoje tentei ser uma boa mãe novamente. Prometi para mim mesma que evitaria os conflitos e que tentaria resolver as questões que surgissem com calma e colo. Chegou a hora de sair e novamente Irene teve problemas para decidir o sapato e a meia. Antes de virar as costas e deixar que ela resolvesse a questão com seus dois anos e sete meses, parei, respirei e ouvi minha filha.

O sapato da vaca não cabe mais e ela estava arrasada com isso. Tentamos colocar o bendito e o pé dela ficava amassado, espremido na frente. Mostrei a ela as opções, provamos dois, trocamos a meia, até que ela escolheu que iria com o sapato do gato.

Ela estava leve, eu estava tranquila e João, 40 minutos atrasado.#nodramamom.